Fale conosco
 
 
Receba nossos boletins
 
 
 
Notícias


Notícias


Vigília de oração por ocasião da memória litúrgica de São Padre Pio
 
AUTOR: GAUDIUM PRESS
 
Decrease Increase
Texto
Solo lectura
0
0
 

Roma – (Quinta-feira, 22/09/2016, Gaudium Press) – Por ocasião do Jubileu extraordinário da Misericórdia e em concomitância com o primeiro centenário da chegada do Santo a São Giovanni Rotondo, hoje às 18 horas teve início a Vigília de oração por e com o Padre Pio.

É a primeira vez que a relíquia de seu corpo foi levada em procissão até o átrio da igreja que leva seu nome, pouco antes ser iniciada esta grande vigília que conta com um cerimonial longo e completo: liturgia de acolhida; canto das vésperas; adoração vocacional ao Santíssimo Sacramento;onal; liturgia penitencial; reza do Santo Rosário e a solene Celebração da Santa Missa presidida pelo padre Carlo Calloni, Postulador geral da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, que encera com a leitura do testemunho escrito pelo padre Pellegrino Funicelli sobre o trânsito do Padre Pío desta terra ao Céu.

Com o nome de Francesco Forgione, o Padre Pio nasceu na localidade de Pietrelcina, na província italiana de Benevento, no dia 25 de maio de 1887.

Ainda com apenas 16 anos de idade entrou para a Ordem dos Capuchinos.

Tinha em seu corpo estigmas da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo desde 20 de setembro de 1918 até o último dia de sua vida.

Padre Pio faleceu em 23 de setembro de 1968. E as chagas de Cristo que haviam sangrado durante cinquenta anos e três dias, desapareceram misteriosamente de suas mãos, dos pés e do lado.

Forma muitos os dons sobrenaturais do Padre Pio. Entre esses dons estava a capacidade de emanar um perfume que era percebido desde uma certa distância; além disso ele tinha o dom da bilocação, ou seja podia ser visto simultaneamente em lugares diferentes; inda mais, ele tinha a hipertermia, uma vez que os médicos constataram que sua temperatura corpórea subia até 48,5 grãos. Ele tinha a capacidade de ler os corações das pessoas e tinha visões e lutas praticamente diárias contra o demônio.

Exatamente na sexta-feira, 23 de setembro, se celebrará a memória litúrgica deste Santo Capuchinho conhecido, venerado e amado em tantos países e a quem São João Paulo II inscreveu no livro dos santos, em 16 de junho de 2002. (JSG)

 
Comentários