Fale conosco
 
 
Receba nossos boletins
 
 
 
Arautos


Artigos


Os Arcanjos
 
AUTOR: REDAÇÃO
 
Decrease Increase
Texto
Solo lectura
7
0
 

s
Os Anjos que se conservaram fiéis formam um exército invencível. Com efeito, só há três Anjos cujos nomes próprios as Escrituras Sagradas nos dão a conhecer.

São Miguel, o Anjo de Deus capitão do exército celeste

Os Anjos de Deus estão divididos em nove coros subordinados um ao outro e formam um exército invencível. Seu número é incalculável. Com efeito, só há três Anjos cujos nomes próprios as Escrituras Sagradas nos dão a conhecer.

Dotados por Deus de inteligência perfeitíssima, os Anjos no entanto pecaram, revoltando-se contra seu Criador. Mistério do mal…  Contudo, São Miguel,  por sua fidelidade, recebeu em prêmio a missão de proteger a Santa Igreja.

São Miguel é o grande capitão do exército celeste. Seu nome Mi-cha-el significa, quem é igual a Deus? Quando Lúcifer, cego pelo orgulho, quis igualar-se ao Altíssimo, Miguel exclamou com voz trovejante: “Quem é igual a Deus?” E acompanhado pelos Anjos fiéis, precipitou do alto dos céus a tropa rebelde dos apóstatas. Assim se tornou o generalíssimo do exército dos Santos Anjos. Vê-se, nos profetas, que era o protetor do povo de Israel; agora o é da Igreja.

São Gabriel, o Arcanjo dos grandes anúncios

São Gabriel, cujo nome significa Força de Deus, anuncia ao profeta Daniel a época da grande obra de Deus, a época do Filho de Deus feito homem, Cristo condenado à morte, a remissão dos pecados, o Evangelho pregado a todas as nações, a ruína de Jerusalém e de seu templo, a condenação final do povo judeu.

É o mesmo Anjo Gabriel que prediz ao sacerdote Zacarias, no templo, junto ao altar dos perfumes, o nascimento de um homem que será chamado João, ou cheio de graça, e que não mais anunciará a vinda do Salvador, mas que o apontará: “Eis o Cordeiro de Deus! Eis quem tira os pecados do mundo!”

Ademais, este mesmo Arcanjo, sempre enviado para anunciar grandes coisas, irá à humilde casa de Nazaré anunciar à Virgem Maria a maior de todas as coisas; comunicar que, sem deixar de ser virgem, ela daria à luz ao Filho do Altíssimo, que seria chamado Jesus ou Salvador, porque seria o Salvador do mundo. É esse glorioso Arcanjo que nos ensina a dizer tal como ele: “Ave-Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres!”

São Rafael Arcanjo, a cura de Deus

São Rafael, cujo nome significa Médico ou cura de Deus, dá-se a conhecer a Tobias: “Quando tu oravas com lágrimas e enterravas os mortos, quando deixavas a tua refeição e ias ocultar os mortos em tua casa durante o dia, para sepultá-los quando viesse a noite, eu apresentava as tuas orações ao Senhor. Mas porque eras agradável ao Senhor, foi preciso que a tentação te provasse. Agora o Senhor enviou-me para curar-te e livrar do demônio Sara, mulher de teu filho. Eu sou o Anjo Rafael, um dos sete que assistimos na presença do Senhor.” (Tb 12, 12-15)

 * * * * * * *

Anjos de Deus

   Explica o Doutor Angélico que “todo efeito representa algo da sua causa”. Assim, em todas as criaturas podemos encontrar vestígios da eterna Sabedoria que as tirou do nada.

Por exemplo, nos astros que enchem as vastidões do firmamento e cujas constelações encontram-se separadas, às vezes, por milhões de anos-luz; nos diminutos grãos de areia, jamais iguais entre si, que cobrem desertos e praias; na variedade assombrosa de vegetais, que vai da “erva do campo que hoje existe e amanhã é queimada” (Mt 6, 30) às seculares sequoias e jequitibás; no admirável instinto dos insetos, na fidelidade quase inteligente de um cão, na delicadeza virginal de um arminho, nos milhares de micróbios que podem pulular numa gota de água… Mas quis Deus espelhar-se sobretudo no homem, criando-o à sua imagem. E ao constituí-lo um composto de corpo corruptível e alma imortal, o tornou elo de ligação entre a matéria e o mundo espiritual.

O mundo angélico

   Porém, no alto desta grandiosa obra da criação, “superando em perfeição todas as criaturas visíveis”, colocou Deus a natureza angélica: espíritos puros, inteligentes e capazes de amar, cheios da graça divina desde o início de sua existência, na aurora da primeira manhã da criação. Distribuídos e ordenados por Deus em nove coros – Serafins, Querubins, Tronos, Dominações, Virtudes, Potestades, Principados, Arcanjos e Anjos. Constituem eles o exército da celeste Jerusalém e receberam a tríplice missão de perpétuos adoradores da Santíssima Trindade, executores dos divinos desígnios e protetores do gênero humano.

   Imensa e incalculável é esta corte do Senhor. “Porventura podem ser contadas as suas legiões?”, pergunta o livro de Jó (25, 3). E o profeta Daniel, abismado, escreveu: “Eram milhares de milhares os que o serviam, e mil milhões os que assistiam diante d’Ele” (Dn 7, 10). Entretanto, cada um desses espíritos possui uma personalidade própria, inconfundível e específica, não havendo sido criado um igual ao outro.

SAIBA MAIS

São Miguel x Lúcifer e a prova dos Anjos

 

FacebookTwitterInstagram
 
Comentários