Fale conosco
 
 
Receba nossos boletins
 
 
 
Notícias


Notícias


Nossa Senhora Auxiliadora: 5 fatos históricos
 
PUBLICADO POR ARAUTOS - 24/05/2019
 
Decrease Increase
Texto
Solo lectura
0
0
 

Redação (Sexta-feira, 24-05-2019, Gaudium Press) No dia 24 de maio a Igreja Católica, em todo o mundo, recorda Nossa Senhora enquanto sendo reverenciada com o título de “Maria, Auxílio dos Cristãos”.

Nossa Senhora Auxiliadora-5 fatos históricos-foto-arautos-do-evangelho.jpg

Maria, Auxílio dos Cristãos não é apenas mais um título da Santíssima Virgem. Ele é na realidade um incentivo para que nós peçamos a Ela, pois, auxiliar, ajudar, socorrer é algo próprio de Maria.

Pedindo a Nossa Senhora posso estar certo de que serei atendido, ensina a Igreja.

A ideia de Maria como sendo Auxiliadora dos Cristãos não é de agora, desde o início do cristianismo sua poderosa e infalível intercessão é reconhecida. Ao longo da história conhecemos fatos marcantes dessa intercessão em casos especiais.

Mas, não se pode esquecer que “nunca se ouviu dizer que alguém que tenha procurado seu auxílio fosse desamparado”, mesmo sendo um “miserável pecador”.

Vejamos cinco fatos sobre Nossa Senhora Auxiliadora que possam ser pouco conhecidos ou, talvez, esquecidos.

Os primeiros cristãos chamavam Maria de “Auxiliadora”

Os primeiros cristãos na Grécia, Egito, Antioquia, Éfeso, Alexandria e Atenas costumavam chamar a Santíssima Virgem Maria de “Auxiliadora”, em grego é “Boeteia”, e significa “a que traz auxílios vindos do céu”.

O primeiro Padre da Igreja que chamou a Virgem Maria de “Auxiliadora” foi São João Crisóstomo no ano 345 em Constantinopla.

O santo disse: “Tu, Maria, é o auxílio potentíssimo de Deus”.

Nossa Senhora também foi reconhecida com este nome por Proclus no ano 476 e por Sebas de Cesária em 532.

A “Auxiliadora” intercedeu pelos Cristãos nas batalhas de Lepanto e Viena

Em 1572, o Papa São Pio V, depois da vitória do exército cristão sobre os turcos muçulmanos na batalha de Lepanto, ordenou que fosse celebrada no dia 7 de outubro a festa do Santo Rosário e que nas Ladainhas fosse invocada “Maria Auxílio dos cristãos”.

Naquele ano, Nossa Senhora livrou prodigiosamente toda a cristandade da destruição: só com o seu constatado auxílio foi possível aos cristão derrotar nas águas do Mediterrâneo o poderoso exército maometano de 282 barcos e 88.000 soldados.

Em 1683, os turcos atacaram novamente os Cristãos. Desta vez escolheram como alvo Viena, a capital austríaca. Era a época do pontificado do Papa Inocêncio XI.

Sob o comando do rei da Polônia, João Sobieski, mesmo tendo um exército inferior, os cristãos derrotaram o exército turco confiando na intercess~çao e ajuda de Maria Auxiliadora.

Pouco tempo depois, fundaram a Associação de Maria Auxiliadora, que se espalhou pelo mundo.

A festa de Maria Auxiliadora (24/05) nasceu na Revolução Francesa

A história da instituição da festa de dedicada a Nossa Senhora Auxiliadora nos remete para alguns anos depois da Revolução Francesa. Uma revolução que, como é sabido, realizou um grande golpe contra a Igreja.

Naquela ocasião, o Papa Pio VII estava preso na França, no Palácio de Fontainebleau a mandos de Napoleão Bonaparte.

As orações do Papa, pedindo a proteção para a Igreja, foram, então, dedicadas a Maria Santíssima sob a invocação de “Auxílio dos Cristãos”.

As preces do Pontífice foram atendidas: em 1815, Napoleão assinou a sua abdicação.

Quando a Igreja recuperou sua posição e poder espiritual, o Papa, já em 1815, instituiu a festa de Nossa Senhora Auxiliadora no dia 24 de maio com a intenção de perpetuar a memória do seu retorno a Roma depois do cativeiro que foi forçado a viver preso na França.

A Ucrânia celebra a festa de Nossa Senhora Auxiliadora desde o século XI

A Virgem Maria Auxílio dos Cristãos era invocada na Ucrânia desde 1030, depois que a “Auxiliadora” livrou aquela região da invasão de tribos pagãs. Desde então, a Igreja Ortodoxa nesse país celebra a festa de Nossa Senhora Auxiliadora no dia 1º de outubro.

1860, Maria Auxiliadora aparece a São João Bosco

A Virgem Maria apareceu a São João Bosco em 1860 e indicou a ele o lugar em Turim (Itália) onde queria que fosse construído um templo onde Ela pudesse ser venerada e honrada.

Foi a própria Nossa Senhora quem pediu a Dom Bosco ser homenageada com o título de “Auxiliadora”.

O Santo foi um grande propagador do amor a esta devoção mariana.

Em 1863, São João Bosco começou a construção da igreja com alguns centavos, mas com a intercessão da Santíssima Virgem Maria, em 9 de junho de 1868, apenas 5 anos depois, foi realizada a consagração do majestoso templo.

Dom Bosco dizia: “Cada tijolo deste templo corresponde a um milagre da Santíssima Virgem Maria”.

A partir daquele Santuário, começou a espalhar pelo mundo a devoção a Maria sob o título de Auxílio dos Cristãos.

(JSG)

 
Comentários