Fale conosco
 
 
Receba nossos boletins
 
 
 
Serviços


Santo do Dia


São Marcelo, Mártir - Data: 30 de Outubro 2019
 
 
Decrease Increase
Texto
Solo lectura
3
0
 
Buscar por dia

Navegue no Calendário Litúrgico ao lado e saiba mais sobre os santos de cada dia.
 
Escolha o santo deste dia
I


Aos 5 das calendas de agosto, sob o consulado de Fausto e de Galo, Marcelo, centurião, tendo comparecido diante do governador Astásio Fortunato, este lhe perguntou:

- É verdade que julgas bom, contra a disciplina, tirar o centurião e arrojar por terra a espada e a cepa de vinho? São Marcelo respondeu:

- Sim a 12 das calendas de agosto, quando celebraste a festa do teu imperador, eu já havia declarado em alta voz que era cristão e que não o poderia mais servir como oficial. Não sirvo senão a Jesus Cristo, o Filho de Deus Todo-poderoso.

- Fortunato replicou:

- Causaste um escândalo. Não posso abafar o sucedido. Sou obrigado a encaminhar-se aos nossos senhores Augustos e Césares. Tu serás, pois, enviado ao tribunal de meu senhor Agricolano.

 

II


Manílio Fortunato, ao seu querido Agricolano, saudações. Quando celebramos o dia tão bem-aventurado e tão jubiloso para todo o universo do próprio nascimento de nossos Augustos e Césares, eu te informo, Senhor Aurélio Agricolano, que Marcelo, centurião ordinário, presa de não sei que loucura, despojou-se espontaneamente do seu boldrié e achou bom arrojar diante das tropas de nossos senhores a espada e a cepa que trazia. Vi-me, então, na necessidade de enviar o caso à tua jurisdição, e de te conduzir o inculpado.

III


Sob o consulado de Fausto e de Galo, aos 3 das calendas de novembro, em Tingi, Marcelo, centurião, foi introduzido diante do juiz. Leitura foi feita das peças pelo escrivão. O governador Fortunato conferiu a tua jurisdição a Marcelo aqui presente. Eis a carta escrita a este respeito e a qual vai ser lida, se tu o ordenares. Agricolano pronunciou:

- Que seja lida. - Depois da leitura, Agricolano perguntou ao acusado:

- Disseste o que foi consignado na ata?

- Eu o disse.

- Cada uma destas palavras?

- Sim.

- Tu servias como centurião ordinário?

- Sim.

- Que loucura furiosa te possuiu, para repudiares teus juramentos e seguires estas aberrações?

- Não há loucura no temor de Deus.

- Tu te despojastes das armas?

- Sim. Não convém a um cristão aplicar-se nos serviços do século. Ele serve o Cristo Senhor. Agricolano concluiu:

- O caso de Marcelo é o dos que sanciona a disciplina. Ouvimos que Marcelo, que servia na qualidade de centurião ordinário, publicamente repudiou, e em termos infamantes, o juramente militar, e que, ademais, como consta da ata do governador, valeu-se de palavras furiosas; fica, pois, decidido que será castigado pela espada.

Quando o levavam para o suplício, o mesmo Marcelo disse:

- Agricolano, Deus te abençoe!

Era bem assim que Marcelo, o mártir glorioso, devia deixar o mundo.

Resumo do martirológio:

Em Tanger, na Mauritânia, a paixão de São Marcelo, centurião, pai dos santos mártires Claudio, Lupércio e Vitório: teve a cabeça cortada e assim consumiu o martírio sob Agricolano, lugar-tenente do prefeito do pretório em 298.

(Vida dos Santos, Padre Rohrbacher, Volume XVIII, p. 80 à 82)

 

 

 
Comentários