Fale conosco
 
 
Receba nossos boletins
 
 
 
Artigos


Virgem Maria


As 10 principais virtudes de Maria
 
AUTOR: REDAÇÃO
 
Decrease Increase
Texto
Solo lectura
0
0
 

Celebremos a Maternidade Divina

Todo primeiro dia do ano a Igreja dedica a Santíssima Virgem, celebrando sua maternidade divina. Os padres da Igreja, grandes estudiosos que elaboraram suas afirmações antes do século IV, afirmaram que a virtude que mais chamou a atenção de Deus e a fez receber a dádiva de Mãe Divina foi sua humildade. De fato, Nossa Senhora tinha uma tal consciência de seu nada e do tudo de Deus que se esvaziou completamente de si para ser cheia de graça, cheia do Espírito Santo. Mas esta é apenas uma de suas principais virtudes: em honra a seu dia, vamos lembrar algumas das principais virtudes da Santíssima Maria, declaradas no Tratado da Verdadeira Devoção, escrito por São Luís de Montfort. Ele as descreve no artigo 108, quando fala dos verdadeiros devotos de Nossa Senhora e de como devem honrar suas principais virtudes.

Humildade profunda, contínua oração, obediência cega

A primeira de suas excelências somente poderia ser sua humildade. Diante de Santa Isabel, quando esta a louva, a Virgem Maria diz: “A minha alma engrandece no Senhor e meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, pois ele olhou para o nada de sua serva”. Assim, mesmo no elogio, Nossa Senhora mantém sua fidelidade.

A próxima é seu espírito de oração. Diz o Evangelho: “Quanto a Maria, guardava todos esses fatos e meditava sobre eles em seu coração” (Lc 2, 18). Esta meditação é a sua comunicação com Deus, seu momento de oração. Assim, percebemos que antes mesmo de Nossa Senhora conceber Jesus, já vivia imersa no relacionamento com seu Senhor.

Fechando as três primeiras posições, temos a obediência como uma das principais virtudes de Maria. Todas as dificuldades que se interpuseram entre o anúncio do Anjo e a ressurreição de Cristo, bem como depois de sua ascensão e até o final de sua vida, foram provas que Deus mandou continuamente a fim de colocar a alma de sua Mãe cada vez mais purificada. É por isso que Maria Santíssima alcançou uma excelência que é imensurável: sua obediência à vontade de Deus foi sempre ilibada, sem nenhum ressentimento.

Fé viva, mortificação universal, pureza divina

E nenhum dessas obras poderia ter praticado Maria Santíssima sem uma fé viva. Como uma chama acesa que ilumina todo um cômodo, Nossa Senhora possuía sua fé sempre a sua frente. Entendia os acontecimentos humanos através da Pena Divina, que escreve a História humana.

A procissão-carreata comemorou a Solenidade da Exaltação da Santa Cruz, e aproveitou-se o ensejo para levar paz e consolo às famílias e às pessoas durante este isolamento social.

Além da fé, seu amor pelo sofrimento também a movia. Como revelado pelo Arcanjo Gabriel, Nossa Senhora sabia a vocação de seu Filho, a cruz, bem como, profecia revelado por Simeão, tinha ciência que uma espada transpassaria seu coração. Mas nada disso a desanimou: pronta a aceitar a dor, com uma mortificação que a caracterizaria pelos séculos futuros, concedeu seu sim a Deus e o Verbo se fez carne em seu ventre.

São Luís continua enunciando que a pureza de Nossa Senhora é como que divina. Por um enorme milagre, Deus a fez alcançar a fecundidade da maternidade sem perder a glória da virgindade. Além disso, todo seu pensamento e amor continham a inocência do puro, que não macula seu pensamento com a malignidade do impuro.

Caridade ardente, paciência heroica, doçura angélica

Para completar sua majestosa fé, somente uma caridade que fosse operante ao infinito. Nossa Senhora não só acreditou, mas praticou obras que eram fruto de sua fé, tornando sua caridade poderosa suficiente para receber de Deus o título de Advogada da humanidade.

Com a mortificação, a aceitação do sofrimento e do sacrifício, vem também a dádiva da paciência. Posta à prova diversas vezes pela nossa infidelidade, Maria Santíssima não se cansa de nós. Ela nos suporta, nos sustenta, vai atrás de nós quando fugimos d’Ela, e sempre estará lá para nós ao cruzarmos os umbrais da eternidade.

E como se não bastasse tamanha caridade, ainda a exerce com uma doçura angélica. É a boa mãe que cuida do seu filho mais frágil e adoentado, sem nunca se irritar com suas teimosias e caprichos.

Por último, dentre as principais virtudes de Maria: sabedoria divina

Os compêndios de teologia, ao tratar sobre o dom de sabedoria, destacam que este é o mais elevado grau de virtude que um ser humano pode atingir: olhar a realidade com os olhos de Deus. Esta é a sabedoria.

principais virtudes de nossa senhoraMaria Santíssima possuía a sabedoria em grau máximo, tanto que sua vontade se funde com a do seu Filho: Nossa Senhora não faz nada que não aponte para o Divino Jesus. É por isso que Deus colocou uma tríplice coroa em sua cabeça, e decretou que, um dia, Ela seria rainha. Sua sabedoria a fez enxergar o plano divino em cada ponto da História, sendo oportuno que, algumas vezes, Ela própria viesse até nós nos revelando o futuro. É o que aconteceu mais recentemente em Fátima, quando diz: Meu Imaculado Coração, por fim, triunfará.

Que as principais virtudes de Maria possam nos fazer amá-la ainda mais, e engrandece-la diante de nossos olhos. Que este ano de 2023 possa ser o ano das realizações e dos triunfos de Nossa Senhora, pois só assim também nós venceremos.

 
Comentários