Fale conosco
 
 
Receba nossos boletins
 
 
 
Arautos


Arautos no Mundo


Uma fé viva, profunda e palpitante
 
AUTOR: REDAÇÃO
 
Decrease Increase
Texto
Solo lectura
0
0
 

Em meados de janeiro, o Pe. Santiago Canals Coma, EP, sacerdote de origem espanhola, desembarcou em Maputo pela primeira vez. Havia sido convidado pelo Pe. Arão Otílio Gabriel Mazive, EP, para ajudá-lo no abundante e frutuoso trabalho pastoral que ali desenvolvem os arautos, e aceitara o convite com muita alegria.

Tendo conhecido de perto em São Paulo alguns moçambicanos, não duvidava ele que iria encontrar-se com um povo cheio de fervor, mas a fé viva e palpitante dos naturais o surpreendeu: “Se, algum dia, alguém vir para este país, garanto que não se arrependerá. Não é nada do que se possa imaginar…”, escreve o Pe. Canals.

Ele põe em realce a inteligência do povo, “que gosta de estudar e aprende com facilidade. Os alunos do Estado utilizam belos uniformes: camisa com gravata para os rapazes e belas saias que chegam até os pés para as meninas”. Frisa também o quanto os moçambicanos “têm uma profunda fé no sobrenatural e na Santa Igreja. São muito respeitosos com qualquer autoridade, seja familiar, civil ou religiosa. Não têm dificuldade de serem gratos quando alguém lhes ensina alguma coisa”.

Mas elogia, sobretudo, a ordem e devoção que notou durante as Celebrações Eucarísticas, até entre os mais jovens: “As crianças são bem educadas em casa para respeitar e comportar-se. Numa Missa com 100 crianças o silêncio é quase absoluto. Ninguém se move de seu lugar e todos prestam atenção, sendo que as Missas aqui duram normalmente duas horas no mínimo”.

Missas nas comunidades – A pedido de sacerdotes amigos, presbíteros arautos celebram a Eucaristia em comunidades da região, como a de Nossa Senhora do Carmo, em Khongolote (na parte superior desta página), a dos Mártires de Uganda, em Intaka (esquerda); e a Santo Elias, em Mapandane (direita). As homilias costumam ser traduzidas para os dialetos locais, pois nem todos compreendem o português, língua oficial do país.

Uma casa sempre aberta – Grande número de fiéis vindos principalmente de Maputo e Matola frequenta a Casa da instituição. Várias vezes por ano realizam-se cursos de consagração a Nossa Senhora (1). Da Adoração ao Santíssimo Sacramento e do canto do Ofício participam com frequência amigos e simpatizantes, e já é tradicional a prática da devoção dos Primeiros Sábados reparadores em honra de Nossa Senhora (2). No dia 3 de fevereiro a Missa foi presidida pelo Pe. Canals (3). No fim houve a bênção de São Brás (4).

Sacramentos – Muitos são os pedidos que recebem os sacerdotes arautos para abençoarem as casas dos fiéis (esquerda) ou nelas rezarem o Santo Rosário. Com frequência é-lhes também solicitado administrar a Unção dos Enfermos a pessoas que, no meio do sofrimento, permanecem alegres e desejosas de se encontrarem com Deus (centro). Na Casa da instituição em Maputo já existem horários fixos para o Sacramento da Confissão (direita).

Peru – Bela cerimônia teve lugar na capela da Nunciatura Apostólica em Lima, por ocasião do aniversário da Aprovação Pontifícia dos Arautos do Evangelho. A Santa Missa foi solenemente presidida pelo Núncio Apostólico, Dom Nicola Girasoli, e concelebrada pelos sacerdotes arautos, da qual participaram os membros da instituição.

Canadá – O 26º encontro anual do Lift Jesus Higher Rally, organizado pela Catholic Renewal Ministries, realizou-se no dia 3 de março. Os Arautos foram convidados a fazer a guarda de honra de Nossa Senhora do Cabo, Padroeira do Canadá, e a recitar o Santo Rosário com os 4,5 mil participantes do evento.

Brasil – Dentre as atividades realizadas neste mês na Paróquia Nossa Senhora das Graças, diocese de Bragança Paulista (SP), destacamos a comemoração litúrgica dos padroeiros das comunidades São Paulo e Nossa Senhora de Lourdes, e o retiro pregado na comunidade Nossa Senhora de Fátima durante o Carnaval.

 
Comentários