Fale conosco
 
 
Receba nossos boletins
 
 
 
 
Decrease Increase
Texto
Solo lectura
0
1

Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019.

Santo do dia: São João de Capistrano, presbítero; Santo Inácio de Constantinopla, Bispo
Cor litúrgica: verde

Evangelho do dia: São Lucas 12, 39-48

Primeira leitura: Romanos 6, 12-18
Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos:

Irmãos: 12Que o pecado não reine mais em vosso corpo mortal, levando-vos a obedecer às suas paixðes. 13Não ofereçais mais vossos membros ao pecado como armas de iniqüidade. Pelo contrário, oferecei-vos a Deus como pessoas vivas, isto é, como pessoas que passaram da morte à vida, e ponde vossos membros ao serviço de Deus como armas de justiça. 14De fato, o pecado não vos dominará, visto que não estais sob o regime da Lei, mas sob o regime da graça. 15Então, iremos pecar, porque não estamos sob o regime da Lei, mas sob o regime da graça? De modo algum! 16Acaso não sabeis que, oferecendo-vos a alguém como escravos, sois realmente escravos daquele a quem obedeceis, seja escravos do pecado para a morte, seja escravos da obediência para a justiça? 17Graças a Deus que vós, depois de terdes sido escravos do pecado, passastes a obedecer, de coração, aos ensinamentos, aos quais fostes entregues. 18Libertados do pecado, vos tornastes escravos da justiça. 

– Palavra do Senhor
– Graças a Deus

Salmo 123 (124)

– Se o Senhor não estivesse ao nosso lado, que o diga Israel neste momento; se o Senhor não estivesse ao nosso lado, quando os homens investiram contra nós, com certeza nos teriam devorado no furor de sua ira contra nós.

R: Nosso auxílio está no nome do Senhor.

– Então as águas nos teriam submergido, a correnteza nos teria arrastado, e então, por sobre nós teriam passado essas águas sempre mais impetuosas. Bendito seja o Senhor, que não deixou cairmos como presa de seus dentes!

R: Nosso auxílio está no nome do Senhor.

– Nossa alma como um pássaro escapou do laço que lhe armara o caçador; o laço arrebentou-se de repente, e assim nós conseguimos libertar-nos. O nosso auxílio está no nome do Senhor, do Senhor que fez o céu e fez a terra!

R: Nosso auxílio está no nome do Senhor.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 12, 39-48

– Aleluia, Aleluia, Aleluia!
– Vigiai, diz Jesus, vigiai, pois, no dia em que não esperais, o vosso Senhor há de vir (Mt 24, 42.44)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas:

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 39Ficai certos: se o dono da casa soubesse a hora em que o ladrão iria chegar, não deixaria que arrombasse a sua casa. 40Vós também ficai preparados! Porque o Filho do Homem vai chegar na hora em que menos o esperardes’. 41Então Pedro disse: ‘Senhor, tu contas esta parábola para nós ou para todos?’ 42E o Senhor respondeu: ‘Quem é o administrador fiel e prudente que o senhor vai colocar à frente do pessoal de sua casa para dar comida a todos na hora certa? 43Feliz o empregado que o patrão, ao chegar, encontrar agindo assim! 44Em verdade eu vos digo: o senhor lhe confiará a administração de todos os seus bens. 45Porém, se aquele empregado pensar: ‘Meu patrão está demorando’, e começar a espancar os criados e as criadas, e a comer, a beber e a embriagar-se, 46o senhor daquele empregado chegará num dia inesperado e numa hora imprevista, ele o partirá ao meio e o fará participar do destino dos infiéis. 47Aquele empregado que, conhecendo a vontade do senhor, nada preparou, nem agiu conforme a sua vontade, será chicoteado muitas vezes. 48Porém, o empregado que não conhecia essa vontade e fez coisas que merecem castigo, será chicoteado poucas vezes. A quem muito foi dado, muito será pedido; a quem muito foi confiado, muito mais será exigido! 

– Palavra da Salvação
– Glória a Vós, Senhor

Comentário ao Evangelho por Beato Guerric de Igny, abade cisterciense
1.º Sermão para o Advento, 2-3; SC 166

«Estai vós também preparados»

«Na tua palavra tenho posto toda a minha esperança» (Sl 118,81 Vulg). […] Esperando em Deus e transbordando de fé, juntarei a esperança à esperança, mesmo que à provação se junte nova provação, que à demora se junte maior demora. Porque estou certo de que, mesmo «que tarde, espera por ela; pois cumprir-se-á com toda a certeza e não se prolongará» (Hab 2,3) para além do tempo determinado e favorável.

Que tempo favorável será esse? É o tempo em que se há de completar o número dos companheiros (Ap 6,11), em que se consumará o adiamento da misericórdia concedida para o arrependimento. Escutai Isaías […] explicar por que razão o Senhor adia o julgamento: «Mas o Senhor espera para Se apiedar de vós, aguenta para Se compadecer de vós; porque o Senhor é um Deus justo, e ditosos os que nele esperam» (30,18). Vede portanto, se fordes sábios, como empregar a trégua devida a esse adiamento. Se sois pecadores, essa trégua é-vos dada para fazerdes penitência e não para viverdes na negligência; se sois santos, será para avançardes na santidade e não para desfalecerdes na fé. Porque «se aquele servo disser consigo mesmo: "o meu senhor tarda em vir"; e começar a bater em servos e servas, a comer, a beber e a embriagar-se, o senhor daquele servo chegará no dia em que menos espera e a horas que ele não sabe; ele o expulsará e fará que tenha a sorte dos infiéis». […]

Sim, esperar verdadeiramente o Senhor é depositar nele a nossa fé, mesmo que estejamos privados da consolação da sua presença, é não seguir o sedutor, mas ficarmos suspensos até ao regresso do Senhor. É o que diz ainda o Senhor pela boca do profeta: «O meu povo estará suspenso até que Eu volte» (Os 11,7 Vulg). «Suspenso», expressão bela e exata, que significa que, estando entre o Céu e a Terra, não podemos ainda atingir os bens celestes, mas também não queremos tocar nas coisas da Terra.

 
Comentários